• Andersonn Prestes

Sobre o single “Andar em Si”



Dia 22 de janeiro lancei uma música nova. O nome é “Andar em Si”. Ela é uma música de quarentena para a quarentena, escrita sobre esse momento de pandemia que estamos passando.

A grande mensagem que procuro passar é olharmos para nós mesmos enquanto estamos reclusos. Aceitar e desfrutar da própria companhia. Algo certamente não exclusivo à pandemia. Afinal, momentos de introspecção e avaliação pessoal devem ser recorrentes.

Julgar o exterior para validar nossas fraquezas é muito mais fácil do que realmente pararmos para nos olharmos - e, assim, nos dispusermos a uma vida mais leve, empática e amorosa.

Os versos do refrão são pontuais: “E acompanha a si mesmo/ Te desnuda quando preso/ Sermos livres sem partir/ Andar em si/ Andar em ti”.

Eu gosto do verso “sermos livres sem partir”. Liberdade geralmente nos traz uma imagem de espaço, o ar livre - como pássaros voando na imensidão do céu, sem limites ao ir e vir. Mas a liberdade a qual me refiro é a nossa, interna. De soltar as amarras.

Deixar ir. Para poder deixar vir.

Não precisamos partir fisicamente pois nossos limites não estão em outro lugar.

Alguns amigos do meio cultural deram depoimentos sobre a música ainda antes do lançamento. Foi uma estratégia de marketing que pensei em colocar em prática. Eu gostei do resultado da música e achei que ela tinha força para trazer feedbacks positivos.

Todos falaram da letra, do momento, da reflexão. Tônio Caetano, por exemplo, fez uma análise dos versos, trazendo referências diversas e fazendo uma bonita interpretação. Alguns também falaram do arranjo e minha “marca” ou “assinatura” enquanto músico e compositor.

Foi uma grande alegria receber os vídeos dos amigos(as) talentosos. (Abaixo a Parte 2).


O lyric video acabou saindo do jeito que foi. Estava em dúvida de quais imagens colocar para embasar o fundo da canção. Achei que as luzes abstratas se encaixariam bem. Peguei uma série delas e montei o vídeo. Elas representariam nossa abstração se ajustando. A fluidez de nossos pensamentos e sentimentos iluminando de um lado e de outro. A nossa percepção e notação sobre eles.

Até que no final fica tudo escuro e falo: “mirarte a ti mismo” ; “desnudarte” - e vem a imagem do mar. Depois de olharmos para nós mesmos, o mar e o horizonte viriam com o significado de paz - de infinitas possibilidades.

Eu falei em espanhol porque gosto da língua, e para me aproximar e assumir minha latinidade como artista.

Então é isso, termino aqui o breve comentário, e te convido a ouvir e “Andar em Si”.



14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo